[Resenha] As Cordas Mágicas | Mitch Albom


Título: As Cordas Mágicas
Título original: The Magic Strings of Frankie Presto
Autor: Mitch AlbomISBN-13: 9788580416305
ISBN-10: 8580416302
Editora: Arqueiro
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 352
Encontre: Amazon | Skoob
Gênero: Drama
Sinopse: Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe.
Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas.
Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e Little Richards.
No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada.
No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus.
"Todo mundo entra numa banda nessa vida.
Às vezes é uma banda errada." p. 214

  Logo nas primeiras frases de As Cordas Mágicas nos damos conta de que estamos em um velório. Não o velório de uma pessoa qualquer, mas, sim, o velório de Frankie Presto, um talentoso e grande artista. Sua carreira pareceu acontecer rapidamente: era valorizado em qualquer lugar, ganhava muito dinheiro, possuía muitos fãs, fazia grandes parcerias, era um ótimo profissional. Mas pouco se sabe sobre o menino que nasceu durante a Guerra Civil, não soube quem eram seus pais biológicos e passou a pertencer a Música. Quando sua morte acontece tornando-o notícia, muitas pessoas começam a lembrar como Frankie fez parte de suas vidas, e a Música está, e sempre esteve, presenciando tudo.
"Você me acha afetada? Às vezes sou. Também sou meiga e tranquilizadora, dissonante e irada, difícil e simples, calmante como areia a escorrer e perfurante como uma alfinetada.
 Sou a Música." p. 9
 A escrita de Mith Albom é ótima, principalmente considerando o fato de que ele consegue mudar de narrativa e narrador facilmente. O livro é narrado pela Música (sim, você não leu errado) e ela irá nos contar a verdadeira história de Francisco Presto, além de nos fazer viajar por passado e descobrir seus maiores segredos. O autor ainda nos permite a visão de outras pessoas sobre Frankie, uma vez que temos personagens que aparecem de repente narrando um capítulo para comentar sobre sua relação com o falecido violonista.
"Talento é um pedaço da sombra de Deus. E, debaixo dessa sombra, as histórias humanas entrecruzam-se." p. 46
 Ter a Música como narradora foi o grande motivo para que eu desejasse ler o livro. A prévia da história de Frankie na sinopse parecia que era só a ponta do iceberg para tudo o que o passado do personagem e o mistério de sua morte trariam, porém por mais que eu estivesse certa nesse ponto, estava errada ao pensar que a narradora me envolveria. É ótimo ver como ela sempre esteve presente, qual era seu real envolvimento com Frankie, como ele lidou com ela até seus últimos momentos, porém eu realmente esperava algo que, de alguma maneira, me chamasse mais atenção, me atraísse mais.

 Não me entendam mal, a história é profunda, possui muitas mensagens, é cheia de possibilidades e foi bem construída, só não conseguiu me atingir e se tornar especial para mim. Gostei, sim, da forma que o autor escolheu para falar da relação que todos nós temos com nosso passado, além de como ele pode trazer marcas irreparáveis e inesquecíveis. A infância sofrida de Frankie colabora para toda sua jornada até a fama e, claro, até sua morte, e a relação com a música torna tudo ainda mais marcante.
 "- O palco é naquela direção." p. 170
 As Cordas Mágicas é um livro que prende o leitor através da narrativa da Música sem deixar de manter o mistério sobre a morte de Frankie Presto. Foi uma boa leitura, entretanto não conseguiu me encantar.