[Resenha] Dartana | André Vianco

Título: Dartana
Autor: André Vianco
ISBN-13: 9788568432846
ISBN-10: 8568432840
Ano de lançamente: 2016
Número de páginas: 784
Editora: Fábrica 231
Encontre: Amazon | Skoob
Gênero: Fantasia, Ação, Contemporâneo, Literatura Nacional
Sinopse: Novo livro do escritor e roteirista André Vianco, um dos maiores nomes da literatura de fantasia nacional, Dartana apresenta um mundo retalhado entre vida e morte, fé e descrença, mitologias e mentiras. No romance, o primeiro de uma trilogia, Dartana é um planeta castigado por uma maldição da qual somente as feiticeiras escapam. Quando um novo deus da guerra surge, muitos habitantes daquele mundo sombrio marcham com ele rumo ao Combatheon, uma plataforma de guerra que representa sua única chance de se libertar da terrível maldição. Esbanjando criatividade e domínio narrativo, André Vianco constrói uma obra surpreendente em que deuses guerreiros, feiticeiras, soldados e construtores se unem para forjar um novo mundo.
"Somente os que acreditassem por completo em seu deus de guerra alimentariam as energias do deus que marchava e fariam dele um campeão." p. 65
 André Vianco é um autor que me desperta curiosidade. São inúmeros os comentários positivos sobre suas obras e escrita que li/escutei, então faz tempo que gostaria de conhecer seu estilo e tão elogiado. Dartana foi a oportunidade perfeita, uma vez que é o primeiro livro de uma nova trilogia do autor que apresenta uma realidade diferente da nossa. Mais do que isso, ele mescla esse novo mundo com o nosso e apresenta elementos incríveis que eu não estava esperando e que tornaram a leitura ainda mais proveitosa. Quero que vocês se surpreendam como eu, então vou me limitar a dizer que: Dartana é um planeta amaldiçoado. Seus habitantes não guardam nada do que é aprendido, uma vez que seus pensamentos são devorados por criaturas invisíveis chamadas de vorazes. Com a ajuda de feiticeiras - as únicas que possuem conhecimento -, um exército é escolhido para marchar até Combatheon, uma terra de guerra, a fim de lutar pela libertação do povo quando um novo deus nasce.
"Por que as feiticeiras escondiam o que sabiam?" p. 120

 A escrita de André Vianco é realmente realista e, apesar de demorar um pouco para que o envolvimento com Dartana e seus habitantes aconteça de fato, é inevitável não se sentir incomodado com a realidade dos habitantes desse planeta logo no início. Além da fantasia, temos dois elementos que me agradaram demais: ação e ficção científica. O autor esbanja criatividade e complexidade, misturando esses gêneros de uma forma surpreendente e encaixando suas características de maneira muito bem trabalhada.
"- Mas no que você acredita?
- Sei no que não acredito." p. 109
 Os personagens aqui são muito bem construídos, fazendo com que não haja apenas um protagonista e, sim, vários personagens importantes que formam um ótimo elenco. Para minha surpresa, não iremos conhecer apenas os mistérios de Dartana, como também viajaremos até São Paulo para conhecer alguém que pode ter uma ligação com esse novo planeta. Ficou surpreso? Eu também. O autor também nos permite conhecer o lado dos vilões, mostrando que eles possuem motivos para lutar pelo que lutam e não estão ali apenas para serem obstáculos. Temos guerras, caos, destruição, estratégias e muito mais.

 Todo o enredo faz com que o leitor crie teorias e anseie para os acontecimentos seguintes aos que está lendo, entretanto, existem altos e baixos. Talvez seja de se esperar, uma vez que o livro possui quase 800 páginas, entretanto é inevitável não se sentir incomodado em cenas mais lentas, uma vez que o ritmo de leitura é, em sua maior parte, rápido. Não é um erro, já que manter a adrenalina do início ao fim poderia ser um exagero, porém alguns pontos específicos acabam deixando a desejar - mesmo que não prejudiquem toda a grandiosidade da obra.
"Os soldados montados adversários, protegidos por imponentes armaduras ajustadas a seus corpos, usavam lanças longas que perfuravam os dartanas que se aproximavam, muitas vezes cruzando seu peito em um golpe só. Os que marchavam no chão, também protegidos por armaduras reluzentes negras e roxas, avançavam golpeando com espadas recurvadas, movimentando-se de forma organizada e estudada, vencendo cada oponente em seu caminho." p. 193
 No fim, Dartana é um misto de guerras, mortes, reviravoltas, determinação e detalhes muito importantes. É uma corrida contra o tempo em busca de esperança e salvação que apresenta seres diferentes, deuses desconhecidos e energia renovada. É impossível não se questionar sobre como você iria agir em determinadas cenas, há muitas dúvidas que ficam para serem respondidas nos próximos volumes da trilogia e André Vianco sabe muito bem como criar novos mundos e envolver os leitores em novas culturas.