[Resenha] Imperfeitos | Cecelia Ahern


Título: Imperfeitos
Título original: Flawed
ISBN-13: 9788581636535
ISBN-10: 8581636535
Grupo Editorial: Novo Conceito
Editora: Novo Conceito 
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas:320
Gênero: Distopia, Literatura Estrangeira
Encontre: Amazon | Skoob
Sinopse: Celestine North vive em uma sociedade que rejeita a imperfeição. Todos aqueles que praticam algum ato julgado como errado são marcados para sempre, rechaçados da comunidade, seres não merecedores de compaixão. Por isso, Celestine procura viver uma vida perfeita. Ela é um exemplo de filha e de irmã, é uma aluna excepcional, bem quista por todos do colégio, além do mais, ela namora Art Crevan, filho da autoridade máxima da cidade, o juiz Crevan. Em meio a essa vida perfeita, Celestine se encontra em uma situação incomum, que a faz tomar uma decisão instintiva. Ela faz uma escolha que pode mudar o futuro dela e das pessoas a seu redor. Ela pode ser presa? Ela pode ser marcada? Ela poderá se tornar, do dia para a noite Imperfeita? Nesta distopia deslumbrante, a autora best-seller Cecelia Ahern retrata uma sociedade em que a perfeição é primordial e quem cometer qualquer ato falho será punido. A história de uma jovem que decide tomar uma posição que poderá custar-lhe tudo.
"Sou uma menina de definições, de lógica, de preto no branco.
 Lembre-se disso." p. 7
  Distopia é meu gênero favorito, então era de se esperar que um livro de Cecelia Ahern voltado para esse público me deixasse curiosa. Ela é uma autora que gosto muito eas expectativas começaram a ser criadas por mim no momento em que a capa foi divulgada pela Novo Conceito. Ela apresentaria uma protagonista forte? Conseguiria manter suas profundas reflexões nesse novo gênero? Conseguiria deixar o romance mesmo de lado? Apresentaria características que gosto no gênero? Por sorte, todas as minhas perguntas foram respondidas, porém muitas outras surgiram ao longo da leitura.
"– Nunca sabemos como as pessoas à nossa volta, as que consideramos nossas amigas, são na verdade – diz Bosco, olhos fixos em Juniper. – O que se passa no íntimo dos que você considera como iguais. Vejo isso todos os dias." p. 23
 Em Imperfeitos conheceremos Celestine North, uma garota que acredita que todas as pessoas de seu convívio são perfeitas. Vivendo em uma sociedade onde a perfeição é a única coisa valorizada, Celestine procura ser a filha perfeita, a namorada perfeita, a aluna perfeita, a vizinha perfeita. Ela sabe que, em seu mundo, qualquer um que comete um erro merece pagar por ele, por isso julga os chamados Imperfeitos, acredita veemente no que seu governo afirma e sabe que tem um maravilhoso futuro ao lado de seu namorado também perfeito. Só que quando é ela quem comete um equívoco, todos seus sentimentos e verdades são colocados a prova.

 Uma das pontos altos de Imperfeitos é o fato de Cecelia Ahern lembrar o que todas as histórias do gênero apresentam: utopias. Conhecemos mundos avançados em que o governo conseguiu, de alguma maneira, controlar a todos e apresentar uma sociedade perfeita – até que se prove o contrário. A jogada de Cecelia Ahern ao bater logo nos pontos fracos e altos das distopias, se torna empolgante no momento em que é percebida e permite apresentar personagens falhos, tão humanos quanto os leitores.
 "A perfeição podia ser reproduzida?" p. 56
  A narrativa em primeira pessoa pode não apresentar tudo o que a narrativa em terceira seria capaz, porém a autora consegue acrescentar características suas que são facilmente reconhecidas pelos leitores, como personagens que erram e acertam, assim como mensagens nas entrelinhas que não tardam a se tornarem reflexões. A protagonista não é a daquelas que se gosta de cara ou vai te conquistando aos poucos. Até o final, há um misto de altos e baixos tanto em sua história quanto em nossos pensamentos a respeito dela – o que torna a leitura ainda mais envolvente.
"Eles nem sempre vencem. Tome cuidado." p. 185
 Imperfeitos é um livro que conseguiu apresentar características que eu esperava, porém não sabia como se encaixariam no enredo. Cecelia Ahern é mais uma autora que lembra que, assim como em nossa realidade, personagens de ficção não precisam apenas acertar ou errar, afinal, tudo que é falho também possui sua beleza. Mal posso esperar pela continuação.
"Se nunca comete nenhum erro, jamais será uma pessoa sábia." p. 158
 Confira a resenha completa:

Comentários

  1. Adoro os livros dessa autora e estou doida pra ver o que ela conseguiu fazer com uma trama assim.
    Interessante saber essas coisas sobre a protagonista. Geralmente em livros do tipo tem uma coisa meio "vamos gostar dela porque ela é isso, isso e aquilo", mas essa parece ser mais real, uma pessoa com defeitos e qualidades e fica por conta de cada leitor definir o que sente sobre ela. Deve deixar a leitura bem interessante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Postagens mais visitadas