[Resenha] O Amor Em Primeiro Lugar | Emily Giffin

Título: O Amor Em Primeiro Lugar
Título original: Love Comes First
Autora: Emily Giffin
ISBN-13: 9788581634548
ISBN-10: 8581634540
Editora: Novo Conceito
Selo: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 352
Encontre: Amazon | Skoob
Gênero: Romance, Drama familiar
Sinopse: Uma tragédia familiar muda tudo na vida das irmãs Josie e Meredith. A tristeza torna-se algo recorrente, mas elas fazem de tudo para seguir em frente. E seguem... Quinze anos mais tarde, Josie e Meredith não têm um relacionamento harmonioso. As diferenças de personalidade delas, que já existiam antes da tragédia, estão ainda mais acentuadas. Elas se veem com frequência, mas não se entendem. Uma vida marcada pela tristeza velada e por segredos que as afastam cada vez mais. Será que Josie e Meredith vão conseguir se libertar de seus medos e se abrir para o novo? Será que, finalmente, elas conseguirão seguir em frente de verdade? “O Amor em Primeiro Lugar” é uma fascinante história sobre família, amizade e a coragem de seguir o próprio coração.
"Quando você quer esquecer, tudo volta bruta e cruelmente. Quando você quer lembrar, os detalhes lhe escapam como um sonho ao amanhecer." p. 5
 Emily Giffin é uma autora que gosto muito. Como escritora e como pessoa. Tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente em 2011, além de reencontrá-la em 2013 - ambas as vezes em Bienais no Rio de Janeiro. Suas histórias, mesmo as que menos gosto, são sempre repletas de emoção e reflexão, coisas que aprecio em leituras e que são um ponto forte da autora. Dessa vez, entretanto, ela conseguiu me envolver mais do que nunca e trouxe mensagens que me fazem caracterizar o livro como "todos deveriam ler".
"Tudo é típico da Josie. Assumindo o comando, fazendo exigências, criando drama." p. 84
Meredith é uma mulher casada, trabalha em um emprego que não gosta e possui um único orgulho: sua filha Harper - mesmo que ultimamente ela tenha desejado ter um tempo sem a menina. Mere sonhava em ser atriz e conseguiu viver seu sonho por um tempo, até que a morte de seu irmão mais velho pareceu mudar todo o rumo de sua vida. Sua outra irmã, com quem ela nunca teve um bom relacionamento, parece viver bem e, no fundo, mesmo com todos os  seus defeitos, Meredith sabe que gostaria de estar em seu lugar para fazer as coisas certas.
"[...] eu sinto uma onda de raiva, percebendo que é sempre um beco sem saída com Meredith, não importa o que eu faça." p. 305
 Josephine é uma mulher solteira que sonha em ser mãe. Quando está com a sobrinha, se sente completa e, quando está com seus alunos, mais ainda. Ela ama ensinar, ama o contato com as crianças, entretanto, nesse ano sua animação está contida porque ela sabe que a filha de seu ex - aquele que ela ainda está (um pouco) obcecada e que gostaria de não ter perdido - está em sua turma. Além de trazer a tona o relacionamento que ela tanto gostaria de resgatar, a menina pode trazer memórias da noite em Josie que perdeu seu irmão mais velho. Da noite em que tudo mudou.
"- [...] Mas você tem ideia de como é mais fácil ser tia do que  ser mãe?
 - Você tem ideia de como você é uma vaca? - pergunta Josie." p. 92
 A escrita de Emily Giffin parece mais envolvente do que nunca. O prólogo é narrado em terceira pessoa e depois que os capítulos começam, temos uma maravilhosa narrativa em primeira pessoa alternada entre Josie e Meredith. A autora consegue nos deixar com questionamentos desde as primeiras páginas, nos permite conhecer as protagonistas profundamente, nos apresenta segredos, nos permite respostas e, principalmente, mantém um ritmo de leitura que é essencial para uma história que meche tanto com nossos sentimentos.

 Tudo pode parecer girar em torno de Josie e Meredith, mas não. Tudo gira em torno da morte de Daniel, daquela noite especificamente. Uma família inteira foi despedaçada a partir do momento em que o filho mais velho saiu à noite para comprar um hambúrguer e não voltou mais. Por mais que pareça aquele tipo de acontecimento sobre o qual se diz "tinha que acontecer" ou "é coisa do destino", todos se sentem culpados de alguma forma: acreditam que poderiam mudar o fim de Daniel. É por isso que, 15 anos depois do ocorrido, os pais se separaram, as filhas não conseguem manter uma boa relação e a família nunca mais conseguiu superar a perda.

 A trama possui algo que me agrada muito: detalhes. Não só detalhes na narrativa (como pensamentos e descrições de locais), mas detalhes específicos que nos fazem juntas as peças do que parece ser um grande quebra-cabeça. Josie seguiu um rumo que, apesar de parecer o bom, não era o que realmente gostaria de estar vivendo. Meredith aceitou escolhas que pareciam certas, porém que não eram o que ela realmente queria. São inúmeras as reflexões que podemos tirar dessa história com a ajuda de personagens como Gabe, Sydney, Pete, Nolan e até Leslie, Andrea e Will.

 Josie foi a personagem que mais me agradou mais por conta de sua personalidade. Ela é o que é e não se importa com julgamentos, porém isso não quer dizer que não possua pessoas específicas em quem confia e leva a opinião em consideração - mesmo que não mude de atitude nem por isso. Meredith, por sua vez, parece mais acomodada. Quando resolve mudar, tudo parece errado, já que mudanças em sua vida também afetam o marido e a filha, no entanto, isso não quer dizer que ela não pode seguir seu próprio rumo. Tem muita coisa em jogo, e foram vários os momentos em que eu gostaria de sentar com Josie para dizer "vá em frente, se arrisque", enquanto queria fazer uma visita para Meredith e falar "vá com calma, se controle".
"A felicidade é a melhor vingança." p.140
 O Amor Em Primeiro Lugar é muito mais do que uma história sobre luto, família e mudanças. É sobre escolhas e como devemos agir em relação à elas. É sobre o amor e como devemos valorizá-lo, não importa de que forma ele chegue. Josie e Meredith precisam aprender a lidar com as consequências de seus atos e com o amor que as rodeia. Isso pode ser o começo para uma delas, e o fim para a outra, todavia nada está garantido. Os momentos finais do livro me deixaram bem satisfeita e Emily Giffin conseguiu me envolver como nunca antes. Devo dizer que este livro superou todos os outros que li da autora.