[Resenha] Conquistada por um visconde | Stephanie Laurens

 
Título: Conquistada por um visconde
Título original: Viscount Breckenridge to the rescue
Autora: Stephanie Laurens
ISBN-13: 9788539822393
ISBN-10: 8539822393
Editora: HarperCollins Brasil
Ano de lançamento: 2016
Número de páginas: 368
Gênero: Romance, Romance de época,
Encontre: Amazon | Skoob
Sinopse: Londres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja... Escrito com maestria, paixão e toques de humor, Conquistada por um visconde é uma trama inesquecível, que deixará o leitor querendo mais após a última página. Composta por Stephanie Laurens, considerada a sucessora de Georgette Heyer e a principal referência de muitas escritoras de sucesso, seus romances têm como cenário a alta sociedade de Londres do período regencial. Conquistada por um visconde é a escolha certa para os fãs de narrativas cujos personagens são damas audaciosas arrebatadas por nobres sedutores.
"Ele tivera a intenção de protegê-la. Mas..." p. 17

 Não me lembro da última vez que me interessei tanto por um romance de época. Acho que, por isso, Conquistada por um visconde e sua sequência, Salva por um cavalheiro, chamaram tanto minha atenção. A promessa de "uma dama provocante, um cavalheiro dominador e uma aventura audaciosa" na capa, me deixaram bem curiosa e ansiosa para conferir a escrita e a trama de Stephanie Laurens.
"Não havia como negar que Breckenridge era um dos libertinos favoritos da alta sociedade por um bom motivo." p. 127
 Estamos na Londres de 1829 e conheceremos Heather Cynster, uma mulher de 25 anos que, segundo os padrões da época, já está passando da hora de casar. O "problema" é que Heather não quer casar sem a garantira do amor verdadeiro. Seus planos envolvem escolher seu marido, um homem que a conquiste de verdade, e possuir uma certa independência. Entretanto, quando seu destino se cruza com o de Visconte Breckenridge, um amigo próximo de sua família, tudo parece mudar. Ele terá que correr contra o tempo pois, ao tentar fazê-la voltar para casa depois de um sarau de má reputação, Heather será sequestrada por inimigos de sua família que estão atrás de vingança.
"— Isso não significa cada. — as palavras sussurradas a atingiram.
 Conforto, segurança, calor — significava tudo isso." p. 129
 As primeiras páginas do livro possuem uma dose certa de mistério, mantendo a identidade das pessoas que buscam vingança contra os Cynster em segredo, assim como apresenta Heather de forma intrigante. A narrativa em terceira pessoa de Stephanie Laurens é bem elaborada e detalhada, entretanto logo percebemos que isso não é suficiente. As cenas são muito bem escritas, os detalhes nos fazem sentir em cada local, os diálogos são convincentes, porém chega um momento em que você percebe que tudo tem (ou deveria ter) um limite. Queremos avançar na leitura, queremos mudanças, queremos outros tipos de detalhes, queremos outras situações. A trama parece cair na mesmice e, ao alcançarmos as cenas sensuais, a sensação é de que a autora se dedicou mais a elas do que todo o resto. Parece que a leitura não está avançando, parece que não saímos do mesmo lugar, mesmo depois de mais de 200 páginas.

 A teimosia de Heather a faz perder diversas chances de fuga, a ideia de prezar pela segurança da família passa a parecer desculpa, as inúmeras perguntas aos sequestradores afim de descobrir o mandante não levam a nada especial, a fuga acontece de maneira arrastada, o chefão de tudo descobre todos os lugares pelos quais Heather e Breckenridge passam e por aí vai. O pior de tudo é a decisão que o vilão toma ao encontrar o casal e o fato de que a parte do livro dedicada ao romance traz várias contradições na personalidade da personagem (que antes não queria ser tratada como donzela, porém acaba querendo manter certas tradições da família).
"A ideia de compartilhar uma ligação breve e apaixonada antes de começar o resto de sua vida solitária trazia um sério apelo." p. 167
 Apesar das diversas coincidências que envolvem o chefe do sequestro, a demora para que as coisas realmente evoluam e as  insistências desnecessárias que fazem com que a leitura perca muitos pontos, não quero desmerecer a obra. Conquistada por um visconde não é uma total perda de tempo.  A autora faz uma ótima jogada ao manter a identidade do vilão em segredo, assim como consegue fazer com que o leitor torça para que Heather e Breckenridge se deem uma chance. Dou duas estrelas e meia com pesar, mas, talvez, pessoas que gostam mais de romances demorados possam aproveitar mais a leitura.
 Conquistada por um visconde não é um livro de todo ruim. Gosto da protagonista mesmo com seus deslizes e torci para que o romance desse certo mesmo com a lentidão, assim como ainda quero saber a verdadeira identidade dos mandantes do sequestro e o motivo para tal vingança. Stephanie Laurens pode não ter me conquistado como o visconde conquista a dama em seu romance, todavia, assim como ele não desistiu, não pretendo fazê-lo. Espero que Salva por um cavalheiro possa ser uma leitura melhor para mim.