[Resenha] A Última Camélia | Sarah Jio

 Romance apresenta personagens de três séculos diferentes e lembra que segredos podem atravessar gerações.

 
Título: A Última Camélia
Título original: The Last Camellia 
Autora: Sarah Jio
ISBN-13: 9788581638355
ISBN-10:
858163835X
Grupo Editorial: Novo Conceito
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2017
Número de páginas: 320
Gênero: Romance, Drama
Encontre: Amazon | Skoob
Sinopse: Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o último espécime de uma camélia rara, a Middlebury Pink, esconde mentiras e segredos em uma afastada propriedade rural inglesa. Flora, uma jovem americana, é contratada por um misterioso homem para se infiltrar na Mansão Livingston e conseguir a flor cobiçada. Sua busca é iluminada por um amor e ameaçada pela descoberta de uma série de crimes. Mais de meio século depois, a paisagista Addison passa a morar na mansão, agora de propriedade da família do marido dela. A paixão por mistérios é alimentada por um jardim de encantadoras camélias e um velho livro. No entanto, as páginas desse livro insinuam atos obscuros, engenhosamente escondidos. Se o perigo com o qual uma vez Flora fora confrontada continua vivo, será que Addison vai compartilhar do mesmo destino? 
"É engraçado como nosso passado volta para nos assombrar." p. 131
Sarah Jio é uma autora que sempre apresenta romances envolventes, mas, dessa vez, ela se superou. Ao encontrar o livro na última caixa que recebi do Grupo Editorial Novo Conceito, fiquei surpresa (vocês puderam ver no vídeo do unboxing) ao constatar que a história ia muito além do que eu esperava, só que, mesmo ali, ao me surpreender com a sinopse, eu não tinha noção do que estava por vir.
"Ele dizia que admirava minha força, o fato de eu conseguir viver no presente sem me lamentar do meu passado. Ah, se ele soubesse..." p. 19
 No início de século XIX, um decreto real foi emitido, notificando que uma camélia rara do jardim da rainha da Inglaterra havia sido dizimada, e sabia-se que um antigo jardineiro havia extraído uma muda e vendido para um agricultor que morava no campo. No início dos anos 2000, Addison é uma paisagista que esconde sua verdadeira identidade e seu doloroso passado de seu marido. Quando alguém desse passado resolve chantageá-la, ela resolve que passar um tempo na mansão história no interior da Inglaterra que seus sogros compraram recentemente, é uma boa ideia. Ela só não esperava que, ao fugir de seu passado, encontraria o passado de outras pessoas, como o de Flora. Ela é uma nova-iorquina que, às vésperas da chegada da Segunda Guerra Mundial na Inglaterra, será babá na Mansão Linvigston. Só que ela não está ali por esse motivo. Por questões financeiras, ela aceitou estar ali disfarçada. Flora procura, na verdade, o último espécime de uma camélia rara.
"Na padaria, eu tinha conseguido ignorar a guerra, deixar que ela existisse apenas nas manchetes dos jornais. Mas agora? Ela estava a minha frente usando um terno cinza com os ombros molhados de gotas de chuva." p. 34
 Sarah Jio sempre consegue mesclar a importância do passado e do presente em suas histórias, além de acrescentar um belo toque de mistério. Em A Última Camélia, teremos um elenco bem envolvente que, apesar dos momentos não muito detalhados, são apresentados pela maravilhosa narrativa em primeira pessoa da autora mostrando sua importância e não nos deixando passar por nenhum deles sem notá-los. Aqui o romance que instiga, o elenco é envolvente e uma leitura vai se tornando sensível até que te deixa com um incrível gosto de quero mais nas últimas páginas.
"Eu estava deixando as pragas crescerem em volta de mim. Elas estavam ameaçando minha felicidade e, de certa forma, minha vida. Então por que eu não podia enfrentá-las?" p. 97
 Flora é uma personagem que se destaca bastante. Por causa da época em que vive, ou por conta das circunstâncias que a levaram até o local onde está, talvez, porém não há dúvidas que ela é a personagem mais profunda e envolvente desse livro. Sarah Jio faz com que o leitor imagine seus gestos e entenda seus pensamentos mesmo nas cenas não muito detalhadas ou aprofundadas, de modo que parece que já a conhecemos o suficiente. Addison, por sua vez, é uma personagem que acaba se tornando interessante graças as dúvidas e descobertas durante sua estadia na mansão. Em meio a tanto conteúdo, tantos detalhes, tantos mistérios, parece não ter muito espaço para uma personagem que não consegue enfrentar seu passado apenas nem abrir seu coração.

 Todavia, Addison não é uma personagem que poderia ser descartada. Ela está ali por uma razão, e isso vai muito além de simplesmente ser "nossa guia" em meio aos enigmas. O contraste entre Flora e Addison é bom- mesmo que isso crie um favoritismo -, assim como é reflexivo ver as relações das duas personagens durante o tempo em que passaram na mansão. Conhecemos a relação de Flora com os criados, as crianças e o Lord Linvigston, além de um certo rapaz que passa a fazer parte de sua vida, assim como compreenderemos o a juventude de Addison, sua relação com o marido, as marcas que perdas do passado deixaram. Tudo tem um porquê, nada está ali por acaso, cada detalhe importa.
"Você não pode mudar as escolhas de seu coração. Receio que esse fato seja a grande tragédia da minha vida." p. 166
  Mistério desde o prólogo e e uma trama que avisa que os segredos podem atravessar gerações é o que garante A Última Camélia. Este livro fala sobre as consequências de nossos atos, sobre como é preciso ter força para não sermos intimidados por eles e como devemos esclarecer questões que surgem com o tempo para que nenhum mal-entendido seja fatal. Sarah Jio escreve com o coração e  apresenta m romance belo, envolvente e encantador. Sem dúvidas, o melhor livro da autora.

Confira a resenha no canal: