[Resenha] Resistência | Affinity Konar


Título:  Resistência
Título original: Mischling - a novel
Autora: Affinity Konar
ISBN-13: 9788595170049
ISBN-10: 8595170045
Editora: Rocco
Selo: Fábrica 231
Ano de lançamento: 2017
Número de páginas: 320
Gênero: Ficção, Drama
Encontre: Amazon | Skoob
Sinopse:  Auschwitz, 1944. As gêmeas Pearl e Stasha têm 12 anos quando desembarcam no campo de concentração nazista na Polônia. à medida que conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e sofrimento, tentam confortar uma à outra e criam códigos e jogos para se proteger e recuperar parte da infância deixada para trás. Mas quando Pearl desaparece sem deixar pistas, Stasha se recusa a acreditar que a irmã esteja morta e embarca numa jornada desesperada em busca de justiça, paz e de si mesma. Livro notável pelo The New York Times; Livro do Ano pela Amazon e pela Publishers Weekly; indicação de leitura dos principais veículos de imprensa norte-americanos, Resistência narra, com uma voz poderosa e única, a trajetória de duas irmãs lutando pela sobrevivência em um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostra que há beleza e esperança até diante do caos.
"Fomos feitas de uma só. Minha irmã gêmea Pearl e eu. Ou para ser mais precisa, Pearl se ormou e eu me inspirei nela. Pearl se esculpiu no útero e eu copiei sua assinatura." p. 9
  Primeira e Segunda Guerra Mundial são assuntos que, desde 2010, marcam muita presença em minha vida. Recentemente fiz um vídeo falando sobre meus livros favoritos sobre os temas e fiquei muito feliz em conversar sobre isso com vocês. Hoje venho falar sobre um livro que, logo na capa, promete ser "um dos livros mais perturbadores, poderosos e criativos do ano". Isso já tem o poder de criar muitas expectativas mas, para minha alegria, o livro foi além delas.
"Eu queria ser toda Pearl, mas por mais que eu me esforçasse, só conseguia ser eu." p. 16 
 Pearl e Stasha são irmãs mestiças inseparáveis. Apesar de cada uma ter sua personalidade e particularidade, Stasha sempre alimentou o desejo de ser a irmã. Pearl sempre se relacionou melhor com as pessoas, sempre foi mais comunicativa, enquanto ela passou anos tentando agir e ser como a irmã, mas não conseguia. Até que as duas são levadas para Auschwitz e conhecerão o chamado Anjo da Morte, um médico e cientista que fazia experiências em gêmeos. Stasha acabará se destacando, mas as duas irmãs terão que resistir à todas as torturas, dores e testes que farão parte de sua estadia em Auschwitz.
"Auschwitz foi construída para aprisionar judeus. Birkenau foi construída para matá-los com maior eficiência. Poucos quilômetros separavam suas perversidades conjuntas. Eu não sabia para que aquele zoológico havia sido construído - só podia jurar que Pearl e eu jamais seríamos enjauladas." p. 18
  Se você já leu ou pelo menos pesquisou um pouco sobre a Segunda Guerra Mundial e Auschwitz, talvez já conheça um homem chamado Josef Mengele. Ele foi médico nazista que fazia experimentos sem valor científico nas pessoas em Auschwitz-Birkenau e, quando li a sinopse de Resistência, pude imaginar que a autora o colocaria, de alguma forma, como parte da história. Para minha surpresa, ela foi além e, apesar de não explorar tanto as experiências e pesquisas, Affinity Konar não se demora nos detalhes fortes justamente porque todo o sentimento é passado por nós através de uma maravilhosa narrativa em primeira pessoa, que é intercalada entre as irmãs. Sua escrita realmente é carregada de emoção e, do início ao fim, nos vemos envolvidos com as personagens, os acontecimentos e as mensagens.

 Um diferencial do livro para todos os outros que li sobre o tema, é o fato de termos crianças como protagonistas. Meu primeiro contato com a Segunda Guerra Mundial foi através de O Sobrevivente, de Aleksander Henryk Laks, e o autor contava sua vida antes, durante e depois dos horrores da Guerra. Apesar de falar sobre sua infância e sua adolescência em Auschwitz, a narrativa era de um adulto e Affinity Konar consegue cumprir a missão de nos fazer acompanhar a jornada das irmãs e passar cada sentimento para nós. O ponto de vista das crianças, seus anseios e inseguranças, a inveja e o cuidado, tudo nos é apresentado com muita sinceridade e verdade.
"Eu não vou suportar esse futuro." p. 175                     
Eva e Miriam Mozes Kor são  duas das poucas sobreviventes das experiências de Mengele. Pearl e Stasha foram baseadas nelas e, a todo momento, eu me perguntava como deveria ser carregar tantas marcas físicas e psicológicas mesmo depois da guerra. As gêmeas de Resistência, Pearl e Stasha, possuem seus próprios trejeitos e acabam se distanciando um pouco ao longo de sua trajetória. Stasha acaba se destacando um pouco mais desde o início. O desejo dela de não apenas ser como a irmã, mas ser a irmã é algo que chama atenção logo na primeira página. Através dela já conhecemos um pouco de Pearl e o porque da admiração que a irmã lhe dedica, assim como a inveja que se faz presente. Ao se verem no meio de tanta crueldade, o laço das irmãs vai se acabando e as duas, cada vez mais, vão se afastando. Isso acaba por mostrar ainda mais de suas personalidades e seus pensamentos, contudo, e apesar dos traumas, as duas estarão sempre ligadas e continuarão a nos tocar de maneiras diferentes.
"Família foi a primeira coisa que pensei.
 Mas a segunda foi que até as famílias acabam." p.264
 Resitência é um livro de partir o coração - e isso acontece muitas vezes durante a leitura. Affinity Konar se baseia na história verdadeira de duas irmãs gêmeas que viveram e sofreram os horrores da Segunda Guerra Mundial, mas também fala sobre solidariedade, sobre esperança e sobre amar a vida. É um livro triste, sim, mas que serve como uma lembrança do que o ser humano é capaz e de como devemos agir para que as atrocidades que ocorreram não façam parte de nosso presente.

Comentários

Postagens mais visitadas