[Resenha] Casada até quarta | Catherine Bybee


Título: Casada até Quarta 
Título original: Wife by Wednesday
Autora: Catherine Bybee 
ISBN-13: 9788576865933
ISBN-10: 8576865939
Grupo Editorial: Record
Editora: Verus
Ano de lançamento: 2017
Número de páginas: 196
Gênero: Romance,  Hot, Ficção, Literatura Estrangeira
Encontre: Amazon | Skoob
Sinopse: Blake Harrison: rico, nobre, charmoso... e precisando de uma esposa até quarta-feira. Para isso, Blake recorre a Sam Elliot, que não é o homem de negócios que ele esperava. Em vez disso, ele encontra Samantha Elliot, linda e exuberante, com a voz mais sexy que ele já ouviu. Samantha Elliot: dona da agência de casamentos Alliance, ela não está no menu de pretendentes... até Blake lhe oferecer milhões de dólares por um contrato de um ano. Não há nada de indecente na proposta dele, e além disso o dinheiro vai ser muito útil para quitar as contas médicas da família dela. Samantha só precisa disfarçar a atração que sente por seu novo marido e evitar a todo custo a cama dele. Mas os beijos ardentes de Blake e seu charme inegável se provam muito difíceis de resistir. Era um contrato de casamento que previa tudo... menos se apaixonar. Agora só resta a Samantha proteger seu coração até que o contrato chegue ao fim.



 Depois de acompanhar (e amar) a série A Garotado Calendário, da Audrey Carlan, o anúncio da série Noivas da Semana chamou minha atenção. A ideia de casamentos de uma agência de casamentos com prazo de validade, mas com contratos que podem ir além do determinado, me deixou curiosa. Eu logo passei a esperar que a série me surpreendesse positivamente e, apesar de ter sido uma ótima leitura, não superou minhas expectativas.
“[...] havia trabalhado arduamente para conquistar sua reputação de canalha sem sentimentos, e não precisava estragar tudo fingindo estar apaixonado para que uma mulher subisse ao altar com ele.” p. 7
 Blake Harrison é um duque milionário que precisa se casar. Seu pai deixou bem claro em seu testamento que, para receber sua herança, o filho precisaria encontrar uma mulher para iniciar uma família. Sem saber que existem brechas no documento, ele vai em busca da Allience, uma agência de casamentos, para conseguir uma mulher de confiança que guarde seu segredo e aceite ser sua esposa por um ano. Mas ao chegar para a primeira reunião, Blake se surpreende ao conhecer Samantha Elliot, uma ruiva segura e desafiadora que é a dona da empresa. Ela não pode perder esse contrato, uma vez que precisa de um cliente como o duque para que seu negócio seja reconhecido no mercado e, principalmente, precisa do dinheiro para ajudar sua irmã. Mas, talvez, ela consiga mais do que deseja.
“– Todo mundo tem um preço, Samantha. – Eu não.” p. 31
A narrativa em terceira pessoa me surpreendeu. É leve, simples, rápida e objetiva, não apresenta muita descrição e nos permite conhecer bem cada um dos protagonistas. Contudo, a leitura pareceu acelerada nas primeiras páginas, fazendo com que fique uma impressão de que a leitura será arrastada em algum momento (mesmo que o livro tenha menos de 200 páginas). Por sorte, a autora soube equilibrar bem o conteúdo, apresenta elementos surpresas ao longo da trama, o desenrolar traz muito mais do que apenas o romance e a leitura se torna rápida, porém na medida certa. Apesar de todas as coisas já esperadas, da leve sensação de “território conhecido”, não é que a história pareça repetitiva, é apenas a presença de clichês, que não prejudicam o conjunto da obra se você souber aproveitá-los e apreciá-los.
“Blake, seu marido, era um jogador. Ela teria que se lembrar disso.” p. 39
Várias coisas podem passar por nossa cabeça ao conhecermos Blake e Samantha, só que ambos vão além do que é apresentado em um primeiro momento. Samantha é uma personagem que já passou por muitos altos e baixos e precisou dar a volta por cima para se reinventar. Ela tem personalidade, é sincera, está pronta para mostrar seus sentimentos e realmente possui personalidade. Blake é charmoso, respeitoso e possui boas intensões, mesmo com todo seu histórico. Apesar de serem cativantes, não há tanto tempo para realmente torcer pelo casal. Por conta dos clichês, a previsibilidade está sempre ali. Basta saber como você irá lidar com isso.
Isso é perigoso. O desejo deles era real, pelo menos para ela.” p. 75
A parte hot é muito mais leve do que eu esperava – o que me agradou – e o que realmente faltou para mim foi um pouquinho mais de profundidade. Gosto de livros com mensagens marcantes, e isso não acontece com Casada até quarte. É uma leitura ótima, de verdade (tanto reconheço isso e dou 4 estrelas para ele), porém é despretensiosa e não possui grandes reviravoltas. Esses não são pontos realmente negativos, uma vez que cada livro possui um objetivo, mas eu precisava justificar o fato de eu dar 4 estrelas para um livro que, de fato, não possui erros para mim. Eu gostei da leitura, gostei mesmo, o livro apenas não me cativou por completo.
“Honestidade era a palavra-chave, afinal.” p. 153

 Casada até quarta cumpre com o prometido, porém não vai muito além. É um romance que fala sobre a importância da sinceridade e da confiança em um relacionamento, Blake e Samantha são protagonistas envolventes, os personagens secundários e elementos surpresas contribuem para que o enredo não caia, de fato, na mesmice e, apesar dos clichês, é uma leitura realmente proveitosa e rápida, ótima para uma tarde calma.