[RESENHA] FLORES PARTIDAS | KARIN SLAUGHTER

Irmãs. Estranhas. Sobreviventes.
Quando Lydia contou para a irmã que o cunhado havia tentado estuprá-la, Claire não acreditou. Dezoito anos depois, porém, tudo o que Claire achava saber sobre o marido se prova uma mentira. Quando vídeos escondidos no computador de Paul mostram uma face terrível do homem que ela julgava conhecer, Claire percebe que o drama de sua família tem muitas camadas, que precisarão ser descobertas antes que a assustadora verdade por fim venha à tona.
Crime | Romance Policial | Suspense | Thriller | 400 páginas | HarperCollins Brasil | Amazon | Skoob

"Precisava dele. Ele era a âncora que a impedia de ficar à deriva." p. 18
 Após a leitura de Flores Partidas, me pergunto se meu primeiro encontro com a escrita de Karin Slaughter poderia ser melhor. Autora premiada e traduzida para mais de 30 idiomas, iniciei a leitura desse livro com grandes expectativas, porém, ainda assim, fui surpreendida. Após o desaparecimento de Julia, a relação de toda a sua família mudou. As coisas ficaram ainda piores quando uma de suas irmãs, Lydia, acusa o namorado de Claire de tentar estuprá-la. Lydia se afastou do que restou de sua família e iniciou uma nova vida, enquanto Claire se casou sem pensar muito na irmã. Quase vinte anos depois, após a morte do homem que as separou, as duas serão surpreendidas com segredos sombrios e verdades assustadoras que podem mudar, mais uma vez, o rumo de suas vidas.
"Lydia respirou fundo ao se preparar para contar a história de sua vida. Ela colocaria uma verdade, tiraria uma mentira, embelezaria ali e remexeria tudo." p. 31
 Uma das coisas que me faz admirar muito Karin Slaughter é seu poder de mesclar vários gêneros em um só livro e abordá-los muito bem. Através de uma densa narrativa em terceira pessoa, a autora nos arrasta para uma investigação eletrizante, nos coloca de cara com cenas muito fortes e nos surpreende com um drama familiar muito bem preparado. A cada novo capítulo você se depara com revelações surpreendentes que, em momento algum, soam forçadas ou superficiais. Tudo na trama é carregado de emoção e há sempre a possibilidade de você estar enganado a respeito de algo. 
"Eu o desafio. Sou seu fracasso. Sou o chute ridículo no saco que não aceita a verdade, que sua filha foi embora." p. 39
 É assustador como tudo que Slaughter adiciona na trama pode ser verdadeiro, mas nada mais real do que as falhas e os sentimentos presentes na família de Claire e Lydia. As diferenças entre as irmãs as tornam uma boa dupla justamente por conseguirem nos deixar temerosos a respeito do que está por vir, ao mesmo tempo em que ansiamos pelo momento em que elas terão que enfrentar mágoas antigas. A mãe que precisa tomar decisões complicadas na tentativa de preservar as lembranças da família divide nossas opiniões. O desabafo do pai que viu a família se despedaçar é de partir o coração. O lado emocional é muito importante e os conflitos internos de cada personagem tornam a trama ainda mais intensa, verdadeira e emocionante.
"Elas podiam fazer aquilo? Deveriam?" p. 221
 O suspense casa muito bem com o drama  em Flores Partidas. A morte de Paul, marido de Claire, provoca reviravoltas incríveis capazes de nos levar da angústia à euforia em questão de minutos. O rumo da investigação, as perguntas que surgem a cada nova descoberta e o mistério que se faz presente do início ao fim se tornam ainda melhores por conta das críticas que a autora faz em diversos momentos. A questão dos verdadeiros culpados em um crime, a visão das pessoas de fora sobre a vítima, a sensibilidade necessária para se colocar no lugar do outro, a insegurança que chega por não saber a verdade... essas e muitas outras reflexões nos são permitidas durante a leitura e nos incentivam a seguir em frente lutando pelos nossos direitos e contra a maldade do mundo.
"Tem noção do que a esperança faz com as pessoas?" p. 242
 Cenas perturbadoras, personagens muito bem construídos e conflitos reais tornam Flores Partidas um livro fascinante. Com maestria, Karin Slaughter faz críticas extremamente necessárias e nos incentiva a lutar por nossos direitos e ter forças para ir contra a maldade que há no mundo. O livro conta com uma descrição poderosa e uma trama extremamente bem elaborada, então mal posso esperar para tirar o atraso e começar a ler os outros livros da autora.