[LIVRO x SÉRIE] VULGO GRACE - ALIAS GRACE

Romance de Margaret Atwood ganhou adaptação da Netflix protagonizada por Sarah Gadon.
Depois de O conto da aia, que deu origem à prestigiada série The handmaid’s tale e alcançou o status de bestseller mais de 30 anos após a publicação original, outro romance de Margaret Atwood ganhou as telas, desta vez pela Netflix, e volta às prateleiras com nova capa pela Rocco. Inspirado num caso real, Vulgo Grace conta a trajetória de Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão e a governanta da casa onde trabalhava, na Toronto do século XIX. Com uma narrativa repleta de sutilezas que revelam um pouco da personalidade e do passado da personagem, estimulando o leitor a formar sua própria opinião sobre ela, Atwood guarda as respostas definitivas para o fim. Afinal, o que teria levado Grace Marks a cometer o crime? Ou será que ela estaria sendo vitima de uma injustiça?
Drama | Suspense | 500 páginas | Editora Rocco | 2017 | Amazon | Skoob
"Se querem tanto um monstro, é preciso lhes dar um." p. 44
 Vulgo Grace chamou minha atenção não apenas por ser um romance de Margaret Atwood como por ter ganhado uma adaptação produzida pela Netflix. A história - baseada em fatos reais - nos apresenta Grace Marks, uma jovem irlandesa que, no século XIX, chegou no Canadá com a família de classe média baixa. Falando assim parece que o enredo é simples e que iremos acompanhar a vida de uma criada imigrante que precisa enfrentar as frustrações da época em que vive, mas tudo se torna complicado por um simples fato: Grace, aos 16 anos, foi acusada de assassinado. Ela afirma que não se lembra de nada da noite do ocorrido, só que tudo indica que ela não agiu sozinha. De qualquer forma, seu suposto cúmplice, um colega de trabalho de 20 anos, foi condenado à forca e ela não. Mas qual seria o motivo disso? Será que o juri simplesmente acreditou em sua inocência? Será que um crime ser julgado antes do outro teria ajudado em sua sentença? Ou será que Grace Marks teria usado o sitema patriarcado contra ele próprio para escapar da pena de morte?
"A verdade pode muito bem vir a ser mais estranha do que imaginamos." p. 95
 Com uma escrita capaz de nos envolver no início ao fim, detalhes que nos treinam para ler o que há nas entrelinhas e uma protagonista que parece nos manipular, Margaret Atwood consegue nos fazer refletir sobre diversas questões durante a leitura de Vulgo Grace. Durante a série, suas mensagens são reforçadas e os detalhes sutis tornam tudo ainda mais proveitoso. O elenco é capaz de dar personalidade a personagens que no livro parecem charadas e, graças à maravilhosa interpretação de Sarah Gadon, Grace é realmente um enigma. Espero que você aí dê uma oportunidade para o livro e para a série e, caso ainda esteja em dúvidas, confira o vídeo abaixo e leia alguns quotes. Tenho certeza de que você verá que vale a pena conhecer Grace Marks.
"Se eu for bastante cordata e bastante sossegada, talvez afinal me deixem ir; mas não é fácil ser boa e pacata, é como estar agarrada à beira de uma ponte depois de você já ter caído por cima do parapeito; parece que você não se mexe, fica apenas ali pendurada e, no entanto, o esforço exige toda a sua força." p. 15
"Tento pensar no que Mary Whitney dizia e às vezes consigo dizer." p. 76
"[...] nunca fui uma dama, senhor, e já perdi qualquer reputação que pudesse ter tido. Posso dizer o que bem quiser ou, se não quiser, não preciso dizer absolutamente nada." p. 106
"Os pequenos detalhes da vida frequentemente scondem um importante significado." p. 182
"Até mesmo a palavra icastigo o incomoda hoje." p. 208
"Ele não acredita no método. Ainda assim, alguma coisa nova pode surgir; alguma coisa pode ser descoberta que até agora ele próprio não conseguiu desvendar. Ao menos valeria a pena tentar." p. 357
"É como se eu nunca tivesse existido, porque não sobrou nenhum traço meu, não deixei nenhuma marca. E assim não posso ser seguida.
 É quase o mesmo que ser inocente." p. 377
"A vontade de Grace é da variedade feminina negativa - ela pode negar e rejeitar com muitop mais facilidade do que pode afirmar ou aceitar. m algum lugar dentro dela - ele viu, ainda que por um breve instante, aqele olhas consciente, até astuto, no canto de seus olhos -, Grace sabe que está escondendo algo dele." p. 397
"Aquela mulher tem nervos de aço. Se fosse homem, daria um bom advogado." p. 413
"[...] para mim ela era culpada como o pecado" p. 415
Adbox

@magialiteraria_