Resenha | O Verão Que Mudou Minha Vida, de Jenny Han

A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher. Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece... Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles. 
Romance | 240 páginas | Editora Intrínseca | 2019 | Amazon | Skoob

Era como voltar para casa depois de ter passado muito tempo fora. E o verão estava cheio de promessas e possibilidades.

Depois de ler (e me apaixonar por) Para Todos os Garotos que Já Amei, era óbvio que qualquer outro livro de Jenny Han passaria a fazer parte da minha lista de desejados. O Verão Que Mudou Minha Vida, no entanto, já fazia parte dela e eu não me lembrava. O livro chegou no Brasil em 2011 pela Editora Record e agora é relançado com nova capa e diagramação pela Editora Intrínseca - a mesma que publicou a história de Lara Jean.

Minha vida era contada em verões. Como se eu não vivesse de verdade até junho, até estar naquela praia, naquela casa.

Nessa outra trilogia de Jenny Han somos apresentados a Belly, uma adolescente que aguarda ansiosamente pelos verões inesquecíveis em Cousins Beach. Ela passou todos os verões de sua vida lá, em uma mesma casa, com seu irmão, sua mãe, a sua quase segunda mãe Susannah e os filhos dela. Belly sempre foi a mais nova no grupo e isso acarretou vários comportamentos e sentimentos ao longo do ano, mas, dessa vez, tudo parece mudar. Ela começa a amadurecer, as pessoa parecem tratá-la diferente e, principalmente, olhá-la com outros olhos. Mas, apesar disso tudo, não há como fugir de quem ela sempre foi e do que sempre sentiu.

Logo nas primeiras páginas me senti completamente envolvida com Cousins Beach, sem nem precisar de longos parágrafos descritivos. A vibe do local é refletida em cada relato da protagonista e você logo se pega pesquisando sobre ele no Google. A ambientação é muito importante, uma vez que, em alguns momentos, foi ela que me deixou mais próxima da história e me dava ainda mais vontade de continuar. 

A enredo não é muito complexo e passamos boa parte da leitura sem que algo aconteça de fato. Os flashbacks são pontos altos, uma vez que os ganchos para eles sempre são importantes e acabamos conhecendo o passado dos personagens, além de compreender melhor a personalidade de cada um. Susannah e Jeremiah são meus personagens favoritos, sem dúvidas. Ela, a melhor amiga da mãe de Belly, é super carismática e me ganhou logo nas primeiras aparições. Seu filho mais novo, Jeremiah, é um garoto extrovertido, sensível, bem-humorado, que foi me ganhando aos poucos e que cresce bastante ao longo do livro. Seu irmão, Conrad, só desceu no meu conceito. A pinta de garoto-problema não me conquistou nem um pouco e o jeito egoísta só me fez desgostar ainda mais dele. 

Eu detestava destoar dos outros. Só queria ser como eles.

 Jenny Han acaba ganhando muitos pontos pela narrativa envolvente, que te aproxima da personagem mesmo nos momentos em que você torce o nariz. Demorei para compreender que Belly é uma personagem imatura, sim, e que precisa entender que sua vida não deve se basear em um amor não correspondido. É compreensível que a autora tenha preparado toda uma trilogia para mostrar seu amadurecimento (segundo a sinopse, são quase 10 anos de história ao longo dos livros) e eu espero muito que ela consiga fazer com que os leitores entendam as razões pelas quais Belly se sente tão inferior. É muito importante ter isso em mente para poder entender 

Os momentos, quando passam, não podem ser recuperados - eles simplesmente passam.

O Verão Que Mudou Minha Vida não é sobre um verão perfeito, nem é um livro cheio de reviravoltas, com grandes mensagens ou personagens complexos. O que Jenny Han garante é um verão de descobertas, um elenco que precisa enfrentar muitas mudanças para amadurecer, um enredo com boas filosofias. Consegui aproveitar o melhor da leitura e sugiro que não espere um livro que irá mudar sua vida, mas esteja seguro de que é uma leitura em que os personagens irão mudar.

Sem Você Não é Verão é o próximo livro da trilogia e já foi lançado no Brasil. Mal posso esperar para saber o que essa leitura reserva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não saia sem comentar!
Queremos saber sua opinião ;)

Adbox

@magialiteraria_